18.9.12

Padre Manuel da Silva: O Homem para além da vocação

Nascido no Louriçal, freguesia de Pombal, em 18 de setembro de 1928, filho de um casal que gerou cinco rapazes e uma rapariga, o pequeno Manuel da Silva sentiu desde cedo, por volta dos 11 ou 12 anos, a vocação para se dedicar à vida eclesiástica. Terá sido um desejo influenciado pelo facto dos pais serem assalariados do Convento do Louriçal. O contacto próximo com os valores da igreja e com as freirinhas determinaram-lhe a vontade, bem como a um dos irmãos que também se ordenou padre, tendo este exercido o sacerdócio no Carriço e na Marinha das Ondas.
Naquela idade falou então ao prior da terra, o padre António Bonifácio, dando-lhe conta da sua intenção. A partir daqui foi por este orientado com o fim de lhe proporcionar o aval para a entrada no Seminário da Imaculada Conceição da Figueira da Foz, o que aconteceu em 1941, tendo sido recebido pelo reitor, o cónego Tomás Póvoa dos Reis. Tinha então 13 anos.

Dois anos depois transitou para o Seminário Maior, em Coimbra, onde durante seis anos tirou os cursos de filosofia e teologia.
Finalmente, em 15 de agosto de 1953, portanto com 25 anos, foi ordenado padre pelo bispo D. Ernesto Sena de Olive
ira na Sé Nova de Coimbra.
Dois meses depois, em outubro, foi designado para as Alhadas como coadjutor do padre Lopes Praça, realizando um estágio de ano e meio. Em 1955 foi então colocado na paróquia de Quiaios, percorrendo também Bom Sucesso e Brenha, onde se manteve durante 37 anos, até 1992.
Pelo meio, em 1964
, as suas já reconhecidas qualidades cristãs e humanas ocasionaram que fosse convidado para dar aulas de Religião e Moral na então escola Industrial e Comercial da Figueira da Foz, o que fez durante 38 anos até 2002. E foi também capelão da Policia de Segurança Pública desde 1955, onde ainda exerce a título gracioso.
Nos finais de 1992 o bispo D. João Alves transferiu-o para o Paião.
Com 84 anos completados hoje, 18 de setembro, continua a exercer o sacerdócio nas comunidades de Paião, Borda do Campo e Leirosa.
.................................
Não é de estranhar que “a malta estudantil” da altura, hoje bem adulta, muitos já formados e doutorados, outros mesmo já reformados, que para fora emigraram ou que por cá continuaram, o continuem a respeitar e a procurar quando as circunstâncias o exigem.
Isto porque na es
cola, então, o padre Manuel da Silva professava a doutrina cristã e o ensino público com a humanidade e um companheirismo cúmplice com os alunos que o tornava como “um deles”! Contava e ouvia uma ou outra anedota, brejeira que fosse, entrava naquelas petiscadas porque era convidado (onde se viam outros professores serem convidados para ‘petiscadas’ de alunos!?), e naqueles anos onde as alunas meninas estavam separadas dos rapazes ele servia “de correio”, passando os ‘bilhetinhos’ de namoro entre eles!
E nos primeiros anos de televisão em Portugal
, saía várias vezes com os alunos para “visitas de estudo” ao café da esquina onde, por “coincidência”, na tv a preto e branco estava a começar um jogo de futebol… evitando assim que nesse dia a turma se ‘tresmalhasse’ e vários alunos faltassem para assistir ao Sporting-Benfica!
.................................
O padre Manuel da Silva vai assinalar a 15 de agosto de 2013, se Deus quiser, 60 anos de sacerdócio, tendo sempre presente a frase do Apóstolo Paulo: “Sou o que sou pela Graça de Deus”!
(António Flórido / Figueira da Foz)

2 comentários:

Anónimo disse...

Para o Sr. Padre Manuel da Silva, um abraço de gratidão por tudo aquilo que fez, ajudando-me a construir o homem que hoje sou. Tive muito orgulho em ser seu aluno, pois nunca descriminou ninguém que não perfilhasse dos ideais da Igreja Católica, antes pelo contrário, respeitava a vontade de outros ideais.Parabéns Sr. Padre Manuel, Luís Pinto

Renato Freire da Paz disse...

Para o meu amigo Padre Manuel da Silva, que admirei pela simpatia e forma de estar. Bem haja caríssimo amigo! Do professor Renato Paz e alunos desde o dia 19 de Abril 2013- Data que não esqueço na capela de Santa Maria de Seiça. Renato Paulo Correia Freire da Paz